[Entrevistas] À Conversa com… Diogo Simões

créditos: Diogo Simões

Olá, Diogo!

Antes de mais bem-vindo à rubrica “À Conversa com…” do EscreViver e obrigada por aceitares responder a algumas questões que me permitam dar-te a conhecer aos meus leitores.

  1. Fala-nos um pouco de ti. Quem é o Diogo Simões?

Olá, Ana! Muito obrigado por este convite. Falar de mim tanto pode ser um desafio como um desastre, mas de forma resumida sou alguém viciado em livros, séries e filmes. Sou também licenciado em Serviço Social e, atualmente, termino no Porto um mestrado ligado à área da infância e juventude.

  • O que mais te inspira?

Tudo o que seja realidade social, para ser honesto. Adoro brincar com histórias verídicas e tentar perceber como as posso passar para a ficção. É um trabalho que se vem alinhavando com o “tipo de escrita” que quero ter: uma de intervenção.

  • Como é que a escrita entrou na tua vida?

Entrou muito por conta do jogo de simulação Sims 3, em 2009. Apercebi-me de uma grande comunidade portuguesa e, desde logo, tive vontade em escrever séries ilustradas com os cenários dos jogos. Foi uma verdadeira aventura e que me trouxe até aqui.

  • Quais são os principais sentimentos que te envolvem quando escreves?

Uma pergunta bastante intrincada, mas depende sempre da história, do momento. Como escrevo sempre em primeira pessoa, procuro aliar-me dos sentimentos que a cena me pede. No geral, procuro os básicos: alegria, tristeza, nojo, raiva e medo.

  • O que é que a escrita mudou em ti?

Mudou muito a forma de organizar o pensamento e a forma como sou empático com os outros. Foi uma mudança gradual, mas que, ao ter acontecido em plena adolescência, moldou muito quem sou hoje.

  • Quais os autores que mais te inspiram?

Neste momento, sem dúvida, a Colleen Hoover. É a que tem mais projetos no que toca de apoio aos leitores e comunidade, assim como tem um percurso profissional muito idêntico ao meu. É uma inspiração tremenda na arte de criar histórias poderosas.

  • De onde vem o gosto pelo serviço social?

À medida que fui lendo e escrevendo, fui-me apercebendo como saber da história das pessoas e de as compreender era algo mais que uma necessidade, era algo em que me fui moldando. Compreendi assim como as ciências sociais eram resposta para o que começava a descobrir em mim.

  • Acabaste de lançar um novo livro: “O que nos magoa”. O que podem esperar os teus leitores deste último livro?

Os meus leitores podem esperar o elevar de tudo o que lhes apresentei ao longo destes anos. Foi uma redefinição minha, quer em termos do que quero para o meu percurso literário, como de um esforço ainda maior no que quero transmitir aos meus leitores.

  • O que esperas para o futuro? Já estás a desenvolver novos projectos?

Tenho, neste momento, um conjunto de ideias para os próximos cinco livros, estando atualmente a trabalhar no que será o meu quarto. Irei abraçar o que comecei a desenvolver no passado, procurando sensibilizar agora os leitores para temáticas ainda mais frequentes.

Se te desafiassem a escrever algo que nunca havias escrito, obrigando-te a sair da zona de conforto. Aceitarias?

Sem dúvida. Com as minhas séries, experimentei o romance, drama, suspense, crime, thriller, fantasia e ficção científica. Já escrevi também comédia por meio de um desafio levado a cabo pela minha editora, pelo que, neste momento, aceito qualquer coisa.

Passados seis anos da publicação do teu primeiro livro, “O Bater do coração” como olhas o mercado editorial em Portugal?

Olho com mais sabedoria e conhecimento. Percebi que ficar completamente zangado com a figura de “uma editora” nem sempre é a resposta e que existem jogadores “mais poderosos” na mesma partida. É um desafio. É um trabalho. É algo contínuo e só procuro, com cada livro, levar o que aprendi nos anteriores para um nível que me permita perceber por completo se o mercado está mesmo a evoluir. Se está mais aberto a publicitar novos autores ou, de pelo menos, saber dar-lhes oportunidades. Claro que estes são ainda pilares muito frágeis, mas sinto ainda que o nosso Governo não tem medidas concretas e de ação para impulsionar o mercado e o obrigar a dar um novo salto.

O que dirias ao Diogo que há seis anos pensava publicar um livro?

Diria que sonhar é ótimo, mas ter os pés mais assentes na terra é o que precisa. Que vai parecer fácil, mas vai tornar-se numa jornada muito maior do que consegue antever. Para confiar em si, mais do que nunca, e não ter medo de arriscar. De errar.

Como é que os seguidores do blogue podem adquirir os teus livros?

De forma sumária, mas completa, o Esquecido está à venda fisicamente na livraria Boa Leitura, em Leiria, e nas livrarias online da editora, Wook, Bertrand e Fnac.

O Que Nos Magoa encontra-se também na Boa Leitura, assim como na Fnac do Leiria e Gaia Shopping, na livraria Americana, em Leiria, na Livraria Barata, em Lisboa, assim como na Livraria Eires Marques, na Figueira da Foz. Podem ainda encontrar nas livrarias online da editora, Wook, Bertrand e Fnac. A acrescentar, e esta é uma novidade muito recente, está também disponível em e-book nas lojas da Kobo, Amazon Kindle, Barnes & Nobles, Apple Boos e no site da editora.

Queres deixar alguns conselhos aos seguidores que ambicionem também publicar um livro?

Quero dizer-vos para serem vocês mesmos. Para fazerem do medo vosso aliado e escreverem sempre, não importa o quê. Mas, antes de escreverem, de saberem o que querem contar, quer a vocês, quer aos outros. Saibam definir o vosso público-alvo, o vosso objetivo e de como gostavam de fazer valer a vossa carreira literária. Podem parecer pontos muito peculiares, mas vão ajudar-vos.

Obrigada pela conversa. Muito sucesso para este novo livro.

One thought on “[Entrevistas] À Conversa com… Diogo Simões

  1. Que conversa tão boa! Gostei, particularmente, de saber como é que a escrita entrou na sua vida. É um dado curioso 🙂
    Tenho «O Que nos Magoa» na minha lista e mal posso esperar para o ler

    Beijinho grande, minha querida ❤

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.