Diário de uma Vida

103-182-thickbox

Sinopse:

“Uma poesia límpida e simples, fresca e cândida como a sua autora, mas simultaneamente atenta e consciente sobre os passos que leva o mundo, uma poesia onde o leitor vislumbrará facilmente a criadora jovem por detrás da mesma.

Revelando características de uma geração para quem os floreados artificiais de composição poética perderam interesse, sobrepostos pela expressão directa e franca do eu para o outro, Diário de uma vida pode ser lido precisamente como o diário de todo um tempo novo, de todo um modo de viver a idade fracturante da passagem para a idade maior, com o cada vez mais acentuado confronto entre o risco de perda e o desejo de manter a ilusão”.

Este meu primeiro livro, é fruto de momentos meus, de coisas que vivi e que sonhei, de cenários que imaginei, de filmes que vi, de músicas que ouvi, de livros que li e que me inspiraram.

São as pessoas que ao longo da minha vida se cruzaram no meu caminho, que marcam ou marcaram a sua presença, que estão comigo todos os dias, que me ensinam ou ensinaram, que me fazem rir, que me conhecem bem, que sabem o que gosto e o que não gosto, que olham para mim e através dos meus gestos, dos meus olhos, sabem o que estou a sentir, se está tudo bem ou se algo corre mal. Que partilham as minhas alegrias e tristezas, as lutas e vitórias, os momentos inesquecíveis, os sonhos e tudo aquilo que procuro e que faz parte do que sou, da minha personalidade. Que se preocupam quando estou doente. São os meus pais, os meus avós, os meus padrinhos, os meus tios e tias, os meus primos e primas e claro os meus amigos (os do passado que ainda fazem parte dos amigos de hoje, mesmo aqueles aquém perdi o rasto e que reencontrei novamente para sentir aquele abraço e recordar as mil uma aventuras da escola. Os do presente, que estão comigo sempre, que são tudo para mim, que se lembram de mim, que dão conforto, que me apoiam em tudo o que faço, que ficam tristes quando estou triste e tentam animar-me e mostrar o lado positivo de tudo o que me rodeia. E são os do futuro, as pessoas que ainda haverão de aparecer e que ainda hei-de conhecer). E são os professores e as outras pessoas que ainda hoje me cumprimentam quando passam por mim na rua, que perguntam por mim, que querem saber de mim (como estou, o que faço etc), que me conheceram na infância ou simplesmente na escola. São algumas destas pessoas que eu quis homenagear no meu livro.

A escrita mudou a minha vida. Descobri que muitas vezes os amigos são os espelho da nossa alma. Escrever permitiu-me crescer, conhecer melhor a nossa língua e as palavras, aprendi a escrever melhor, aprendi a conhecer-me e a testar-me a mim própria, aprendi a testar os meus limites. Abracei desafios novos, descobri novos caminhos, novas emoções, novos sentidos, aprendi que vale sempre a pena sonhar e acreditar, porque os sonhos a qualquer momento podem deixar de ser abstratos para serem pura realidade. Os sonhos comandam a vida, se bem que, no meu caso foi o Miguel que mudou o rumo da minha… para sempre.

Nunca se esqueçam que o mais importante de tudo é fazer o que se gosta e ter prazer e paixão em fazer o que se gosta.

Podem acompanhar tudo sobre este primeiro livro na sua página de Facebook: ver aqui.

d7d2e-assinatura